quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Diferentes vidas, amores iguais.

Mais uma vez ela, Laila, teve que "começar" mais uma nova vida. Foi como nascer novamente ( ou ressucitar, não se sabe ), porém Laila não queria fazer isso, afinal ela já estava exaurida. Mas não teve escolha. Lá foi ela, com a cabeça erguida - ela sempre estava assim - não olhou para trás e confiou em si mesma.
Durante muito tempo Laila ficou receosa, teve medo de sofrer como nas suas "outras vidas", teve medo de não se aguentar de tanta saudade, medo de não alcançar seus objetivos, apesar de saber que ela nunca desistiria se isso vinhesse a acontecer. Mesmo assim ela teve medo de não encontrar pessoas acolhedoras, sinceras. Ah se Laila soubesse que isso não ia existir, ela não teria sentido tanto medo e teria seguido em frente muito antes.
Laila teve a sorte de encontrar muita gente, mas dentre essas, uma foi especial. Taylor é o nome dele. Acho que ela nunca se esquecerá de todos os momentos compartilhados, embora poucos, mas tão intensos, tão verdadeiros.
Foi em mais um dia de luta que Laila encontrou Taylor. Quieta, ouvindo atenciosamente ao que seu mestre falava, ela se deu conta da presença de uma pessoa nova naquela sala. Alguém diferente de todos, com uma atenção ( ou desatenção ) nunca vista antes. Ele possui um estilo próprio, gírias próprias, olhar marcante, olhar esse que Laila sabe que NUNCA vai esquecer, olhar profundo e verdadeiro que depois de algum tempo ela começou a encontrar o consolo.
Por alguns dias, Laila e Taylor trocaram olhares, sentiram-se tímidos, mas de alguma forma intímos também. A curiosidade instigou os dois. Não aguentaram. Puxaram assunto, o qual nem me lembro mais, riram, conheceram-se, gostaram-se, grudaram-se. Depois daquele dia, Laila e Taylor não mais se esqueceram. Mas como toda história que até hoje ouvi, que li ou que presenciei, não tiveram um final feliz. Não sei narrar o sentimento que um sente pelo outro até hoje, amizade, amor, paixão, piedade, gratidão pela companhia, na verdade acho que é uma relação que abrange todos eles. Infelizmente, depois de muito tempo, tiveram que se separar. E mais uma vez eu não sei o por quê. Talvez destino, talvez uma opção dos dois. Eu só sei que eles sentirão algo um pelo outro eternamente, mesmo que não se encontrem mais, mesmo que não se falem mais, o sentimento permanecerá! E a cada reencontro este aumentará, aumentará.
Posso dizer apenas pela parte de Laila, pois desta estou mais próximo, ela sente muita falta das conversas, dos abraços, das saídas curtas, mas inesquecíveis, dos risos por nada, do sincero olhar, do consolo sempre dado. Ela sonha com a volta de Taylor. A cada noite, ela sonha com um sorriso seu, com uma palavra dita, ela sonha com ele e sonha com os seus cabelos tão diferentes e bonitos.
Laila só deseja mais uma coisa, que sua vida não volte a nascer, mesmo sabendo que daqui a pouco isso acontecerá; ela está sentindo o mesmo medo de antes, não quer encontrar e separar mais uma vez de um novo Taylor.
Quanto sofrimento há nas vidas de Laila.

3 comentários:

Pedro disse...

é o q c tah dizendoo!!!!

Miriane Fernandes disse...

Eu TE ODEIO, Pedro. De verdade!

Sr. Lunático disse...

KKKK, româtico & triste.

Postar um comentário