sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Para a minha flor de lis.





Minha flor de lis. Lembra quando te chamava assim, querida? Aí você vinha dizendo que não sabia o que era lis, por isso não queria ser chamada dessa maneira.
Perdoe-me, filha , por ter esperado 17 anos para escrever-lhe uma carta. Perdoe-me também por não ter salvado você daquele acidente terrível, perdoe-me por ter te deixado partir. Apenas agora criei coragem para falar sobre isso, filha. Aqui em casa, ainda sinto tua presença. Seu quarto continua do mesmo jeito que você deixou ao sair com seu namorado que também nos deixou.
Acho que não deu tempo de ensinar-te como a vida é de verdade. Não deu tempo de falar sobre os rapazes que se drogam, que bebem, que dirigem, que matam, assim como aquele, aquele que te ...
Perdoe a minha fraqueza, eu sei que você está bem, sei que está sorrindo aí do alto e sei que pedirá a Deus para mandar forças para eu suportar a dor maior da minha vida. Sei também que você está ocupando seu posto, cumprindo as suas tarefas, afinal, você é um anjo, minha lis.
Esta carta, na verdade, é apenas para agradecer os dezessete anos que você me fez sorrir. Agradecer pelos abraços e pelos carinhos que você sempre me deu. Agradecer pela filha maravilhosa que você é e sempre será. Agradecer pelo cheiro da flor de lis que ainda exalo aqui nas suas roupas, no seu quarto, na nossa casa, no meu coração.
Aproveito para te pedir uma coisa, minha querida. Não deixe o sentimento de vingança invadir meu coração, apesar de ele já está batendo na minha porta agora. Afaste-o de mim e permita que eu seja um anjo assim como você.
Amo-te muito, minha florzinha de lis.








Acidente real em João Pessoa-Pb no mês de Julho,
ocorrido na Av. Epitácio Pessoa, na madrugada de um sábado.
Um rapaz embriagado, avançou o sinal vermelho e bateu seu carro contra o das vítimas onde também estava o pai da "flor de lis", o único sobrevivente.
A carta também é real, porém, essa foi uma invenção minha.
A verdadeira carta foi publicada em uma revista do estado da Paraíba.



15 comentários:

Luna Sanchez disse...

Para o maior dos amores (o que há entre pais e filhos), a maior das dores da perda.

=\

Gabriela Freitas disse...

fiquei arrepiada, sei que ando sumindo, mas não é so daqui, mas minha vida está entrando no eixo certo, espero voltar logo ao normal.

Cristiana Drumond disse...

que texto lindo , profundo e triste
gostei muito do modo como vc escreve
seguindo :*
http://cafecomversosavulsos.blogspot.com/

Myllena Bueno disse...

que lindo !
gostei muito do modo como você escreve²
seguindo já *-*
http://myllenabueno.blogspot.com/

Cristiana Drumond disse...

a querida , desculpa por dizer que segui sem estar seguindo . é que estava saindo e fiz uma confusao com os blogs hihi
seguindo agora , bejio :*

Sr. Lunático disse...

muito triste isso, e ando sensivel demais /cry

Danielle Martins disse...

Cheguei com palavras fortes, sensíveis, de amor... Cheguei e ficarei... Obrigada por sua visita!
Bjs!

Bárbara disse...

Lindas as suas palavras, senti-as no fundo da alma. Gostei muito do seu blog, seguindo.
www.aurevoirsaudade.blogspot.com

Márcinha Mendonça disse...

Oi flor linda como sempre postando coisas deliciosas de se ler, adorei beijos minha amada..
e ótima noite..

Dayane Carmona Poeta disse...

Mesmo não tendo lido a versão original. Eu adorei o que escreveu. Sabe, infelizmente os homens brincam com a vida e o pior não é brincar com a própria vida e sim com a vida de outras pessoas e deixar pais sem suas flores. Sem poderem ver suas flores desabrocharem.

Márcinha Mendonça disse...

Minha flor, passando pra desejar um lindo Setembro, que ele seja colorido repleto de doçuras, que ele traga alegrias e vida renovada, beijos :)

Amanda Raviny disse...

Lindo texto. Incrível como as palavras soam levemente, é tão singelo. Parabéns, grandes beijos. P.s: estou seguindo.

Minne disse...

Miri, que lindo, fico imaginando a dor que deve ser perder um filho e não consigo, sei que é bem maior que qualquer dor que eu possa tentar pensar em sentir, lindas palavras, mesmo que tristes. Beijo.

Rabisco disse...

Esta publicação é muito bonita...senti-me emocionar.
Na realidade eles nunca partem, continuam entre nós. Nós é que não os conseguimos ver mas, tantas vezes, podemos senti-los.

Força!

Bjs

http://rabiscosincertossaltoemceuaberto.blogspot.com/

deia.s disse...

Nossa, que tocante velho. Me deixou "boquiaberta".

http://amar-go.blogspot.com/

Postar um comentário