terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Mais solidão.



Sentou-se no sofá aconchegante e vazio que começou a chamá-la para retornar ao passado e remoer as lembranças. Lembranças dos amores, dos amassos, dos abraços. Dos copos postos às mesas, das risadas altas, dos sons ensurdecedores. Quanta coisa havia passado despercebida? Quantas vezes mais o semblante seria o dono da situação, fazendo com que todos notassem os seus sentimentos, as suas dores?
A solidão havia tomado conta do espaço e estava começando a sufocá-la. Parte de seu corpo estava imerso naquele sofá que a abraçava carinhosamente sem deixá-la expulsar as velhas recordações. Talvez nem ela quisesse que isso passasse afinal o que mais ela tinha nas mãos, senão as lembranças constantes?

6 comentários:

Maria Gabriela disse...

A solidão é um encontro marcado com si mesmo.

Sr. Lunático disse...

Faz muito, muito tempo que não passo por aqui. A solidão é cruel. (Descupa pela ausência amiga)

Alice disse...

Que lindo seu blog!Estou seguindo!
Me siga também,sou nova
http://mydesaire.blogspot.com/

Lorde Croowel disse...

Engraçado...é legal ver que não sou só eu o cara que se lembra exaustivamente. Hehehe...saudades de vc!! Resolvi dar uma passadinha aqui, para absorver parte da energia do seu blog. Belíssimas palavras, me identifico com esse lance de lembrar, mesmo doendo, é algo meio mazoquista.

Shuzy disse...

Lembrar faz bem. Mas, ser prisioneira das lembrança, jamais!

Camila disse...

As lembranças, muitas vezes, são companheiras fieis. E a solidão pode ser uma aliada, também.
Mas nem sempre é bom, nem sempre.
;)

Postar um comentário