segunda-feira, 9 de maio de 2011

No confessionário...



"Na verdade , eu vim com o objetivo de me sentir amado mais uma vez. Desculpe a minha vestimenta, o meu odor e meu barulho que, apesar de  dentro de mim, é incontrolável. É que há três dias não como nada. Ãhn? Não, não. Obrigado. Até água fere o meu estômago. Então, eu vim  mesmo para ouvir a palavra acolhedora. Por que não vim antes? Desculpe-me . Essa semana eu tava cheio do bagulho, o senhor sabe, ? Preferi me esconder e cheirar aquelas pedras em tempo record. Eu consegui, acredita? Dormi durante dois dias seguidos  e quando acordei vi minha falecida maizinha, foi porque dois dias depois ia ser dia das mães. Isso mesmo. É, foi ontem. O senhor acha? É, pode ser  que eu ainda tava noiado. Uhum, sei. É verdade. Mas... É, eu sei. Tô ligado. Consigo não, senhor. Acho que dessa semana eu não passo. É como eu disse, vim só pra me sentir amado pela última vez, Lá fora ninguém sequer me olha, todos tem medo de mim e acho que com razão. Queria sair dessa, mas já chegou o meu fim.  O senhor me desculpe, viu? E que o Senhor me perdoe."
Sem ao menos ouvir a última palavra do padre, Alberto saiu da igreja com lágrimas nos olhos , sabendo que aquela  tinha sido a última visita ao lugar  que acalmava seu coração nos momentos de lucidez.  Apesar de ser dependente há 12 anos, ele tinha consciência dos males causados pelas drogas ( e quem não tem? ). Agora ele já sabia qual seria o seu próximo passo, sem volta: a morte.

3 comentários:

Fernand's disse...

não se pode julgar...
tristes escolhas e teias que nos enredam.



bjsmeus

Camila Alves disse...

e o mais triste é que isso está acontecendo com muitas pessoas nesse momento... Esse pode ser um triste caminho sem volta...

E você, como está?
Beijos!

:*

Sr. Lunático disse...

triste, triste.

Postar um comentário